quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Manipulação de fotos historicas

Hoje em dia , qualquer moleque com um computadorzinho mequetrefe e alguns programas craqueados de edição de imagens consegue manipular qualquer imagem seja para o bem ou para o mal , mas as fotomontagens são tão antigas quanto as próprias fotografias



 Parte deste post eu havia postado ha alguns anos luz no blog O Mundo Real . Quanto eu criei o blog eu tinha salvo em meu pc a imagem acima, bem chocante de dois soldados que supostamente dava a entender que havia saqueado uma propriedade e matado sua dona ( relembre aqui )

E sempre me perguntavam sobre a origem desta imagem e eu meio que enrolava falando que achava que era da segunda guerra e tal .

Até que um dia me deparo com um post de fotomontagens de imagens da segunda guerra . E descobrir que elas eram para incitarem o povo contra seus inimigos , pois quem era contra a guerra e via tal imagens , logo começava a apoiar a guerra e odiar seus adversarios . Traduzindo : desde o seculo passado o povo era manipulado tal qual a globo faz nos dias de hoje .

E hoje , pesquisando um pouco mais a fundo para passar esse post aqui para o Coisas do Mundão , descobri um pouco mais sobre o assunto , pois se usam fotomontagens desde o inicio das fotografias , seja para dar um ar mais heroico ha um ditador ou seja para remover inimigos que outrora era aliado e assim não " queimar seu filme" , confiram :

 O icônico retrato de 1860, em litografia, do presidente americano Abraham Lincoln, acima à esquerda, é uma combinação de sua cabeça com o corpo de John Calhoun, 7º vice-presidente dos Estados Unidos




 Nesta fotografia adulterada de 1936, à esquerda, Mao Tsé-tung (que na foto está à direita, de mãos na cintura) removeu o dirigente do Partido Comunista da China Po Ku (o primeiro à esquerda na outra foto)


 Aqui, o cosmonauta russo Grigoriy Nelyubov (a cabeça mais alta na foto acima) foi retirado da fotografia, datada de 1961, pois foi expulso do programa – liderada por Yuri Gagarin, o primeiro ser humano a subir ao espaço –, na primeira equipe que saiu da órbita da terra. Supostamente, por mau comportamento.


 Quando, no verão de 1968, Fidel Castro (à direita) aprovou a intervenção soviética na Tchecoslováquia, Carlos Franqui (no meio da foto original) cortou relações com o regime e foi para o exílio na Itália. Sua imagem foi removida dos registros fotográficos. Franqui escreveu sobre o seu sentimento de ser apagado: “eu descubro minha morte fotográfica. Que eu existo? Eu sou um pouco de preto, eu sou um pouco de branco, eu sou um merda, o colete de Fidel”


 Nesta foto, de 1865, uma inclusão, para variar: o General Sherman é visto posando com seus generais, mas o General Francis P. Blair (extrema direita) foi adicionado posteriormente. A foto acima é outra imagem da mesma sessão, na qual o general Blair não estava presente.


 Aqui, nesta montagem de 1864, a ousadia foi maior…

… o que parece ser o General Ulysses S. Grant na frente das tropas do Norte dos Estados Unidos no City Point, Virginia, durante a Guerra Civil Americana, é resultado de um retrato seu, cavalo e corpo do Major General Alexander M. McCook e ao fundo prisioneiros capturados na batalha de Monte Fisher – e nós podemos saber de sua origem graças ao ótimo trabalho de detetive dos pesquisadores da Biblioteca do Congresso.


 Excluir inimigos de fotografias era uma prática comum de Stalin. Aqui, nessa foto de 1930, um comissário foi banido após cair em desgraça com o ditador soviético.


 Acredita-se que esta fotografia adulterada contribuiu para a derrota eleitoral do senador Millard Tydings, em 1950. A foto de Tydings (direita) conversando com Earl Browder (à esquerda), líder do Partido Comunista americano, foi a intenção de sugerir que Tydings tinha ligações comunistas.



 A chamada Gangue dos Quatro, uma uma facção política radical composta por quatro dirigentes ultrarradicais do Partido Comunista da China que se destacaram durante a Revolução Cultural e foram posteriormente acusados de uma série de crimes, foi retirada da fotografia original de uma cerimônia em memória de Mao Tsé-tung realizado na Praça da Paz Celestial, em 1976.


 Nesta fotografia adulterada, de 1937, Adolf Hitler removeu o ministro da Propaganda, Joseph Goebbels (o primeiro à sua esquerda na foto original). Nunca se soube o motivo.


 Nesta foto de 1939, a exclusão do rei da Inglaterra, George VI (à direita na foto da direita), se deu, provavelmente, para que o primeiro-ministro canadense William Lyon Mackenzie King usasse sua imagem ao lado da rainha Elizabeth num cartaz eleitoral.


Orgulhoso, o ditador fascista da Itália, Benito Mussolini, excluiu da fotografia o tratador do cavalo, a fim de ficar mais heroico, em 1942.

Agora as imagens postadas originalmente no blog O Mundo Real , Primeiro as falsas e logo depois suas originais :














Fontes :
O Mundo Real
Veja

Nenhum comentário:

Postar um comentário